Justiça concede prisão domiciliar a ex-prefeito de Uruburetama acusado de estupros

O médico e ex-prefeito de Uruburetama, José Hilson de Paiva de 71 anos, saiu do presídio nesta quarta-feira (1º). A Justiça decidiu que José Hilson, acusado de estuprar dezenas de pacientes em seu consultório, fosse beneficiado com prisão domiciliar mediante tornozeleira eletrônica. Os processos contra ele tramitam em segredo de Justiça.

Segundo a defesa do réu argumentou pela liberdade dele destacando que José Hilson se enquadra no grupo de risco do novo coronavírus devido à dois fatores: idade e por ser portador de insuficiência coronária.

As decisões foram proferidas pelos juízes das Varas das comarca de Uruburetama e Cruz nessa terça-feira (31) e o alvará de soltura cumprido na tarde desta quarta-feira (1º).

Em nota à imprensa, a defesa do acusado, representada pelos advogados Leandro Vasques, Afonso Belarmino, Gabrielle Carneiro e Francisco Pinheiro, informaram que "os pedidos consideraram, principalmente, o contexto de pandemia causado pelo novo coronavírus, no qual todos os segmentos da sociedade e as instituições em geral têm somado esforços para refrear o avanço ainda imprevisível do Covid-19.

Ademais, o delicado estado de saúde do Sr José Hilson, já demonstrado em outras ocasiões, o torna especialmente vulnerável a essa infecção viral, razão pela qual o confinamento em sua residência vem atender tanto as necessidades de resguardo das ações penais a que ainda responde quanto da sua integridade física".

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *